Olha lá, o jovem fazendo merda

Publicado por Fábio Andrade em: 27/ago/16


E olha lá, a gente deixando. 

Apesar de parecer, o título e o texto não têm intuito de ofender ninguém (muito menos o coitado do jovem). O que eu quero pontuar aqui é que estamos deixando nossos jovens tomarem as decisões mais difíceis e importantes de suas vidas quando eles mal têm maturidade e/ou bagagem suficiente pra saber se gosta mais de Toddy ou de Nescau.

Quatro jovens brancos caminham sobre trilho de trem com vegetação de bosque ao fundo. Duas moças nas extremidades e dois rapazes no centro. Vestem-se no estilo emo;, todos com roupas bem escuras, tendo por exceção à moça a esquerda.

Jovens (imagem meramente ilustrativa)

A grande maioria das pessoas da minha geração nunca recebeu nenhum tipo de orientação sobre carreira e finanças quando crianças e/ou adolescentes e TRUCO que você tenha recebido. Acontece que quando acaba o ensino médio, sempre vem aquela sensação de que VOCÊ TEM QUE PROCURAR UMA FACULDADE. Mesmo que não exista alguma pressão sobre o jovem nesse sentido ele se sente, de alguma forma, isolado num mundo onde todas as pessoas ao seu redor estão se graduando ou partindo para uma graduação. O que acontece é que a maioria dessas pessoas passaram ou estão passando pelas mesmas incertezas desse jovem “isolado”.

A partir daqui, o que vou tentar fazer é aconselhar o jovem, pra não ficar um velho arrependido precocemente como eu (pode acreditar, só tenho 22 anos).

Bom, primeiro vamos falar do que talvez seja o mais importante: o financeiro. Você, que acabou de se formar no ensino médio, onde tava aprendendo fórmula de

Bhaskara e plano cartesiano, sabe quanto custa uma faculdade? Tá, você viu no site sabe quanto custa uma mensalidade, mas será que já multiplicou a mensalidade por seis, depois somou todos os semestres, e adicionou uns 10 ou 20% de taxa de reprovação (pra garantir)? Será que você, que possivelmente mora no interior, já calculou seu futuro orçamento mensal na capital e multiplicou pelo tempo em que vai estar cursando a faculdade pra saber de fato quanto isso (isso, no caso, você) vai custar? Aposto que tu não pensou nisso e que NINGUÉM te avisou que deveria pensar.

E a carreira, irmão? Você REALMENTE sabe o que quer? Você sabe do que se trata o curso que ele acha que quer fazer? Será que você precisa mesmo fazer uma faculdade agora?

Isso, meu amigo, tá criando um exército de menino novo aí sofrendo de depressão, ansiedade e de um outro problema um pouco menos ignorado pelo povão ao seu redor: dívidas. Tem muita gente olhando pra trás e pensando: “todo esse tempo e dinheiro investidos valeram a pena?” e você ainda não tem noção de quantas vezes a resposta para essa pergunta é “não”.

Jovem vestido de jeans preto, blusa listrada em preto e branco e calçando tênis allstar. Está sozinho, sentado no chão com o rosto escondido entre o peito e as pernas, os braços abraçam o joelho. Está em um extenso e bem iluminado corredor com chão branco e uma longa sequência de armários com portas azuis. Ao fundo uma porta de acesso azul está fechada.

google.com > jovem deprimido > pesquisar

Você precisa saber que se você for apresentado a outras possibilidades diferentes de FAZER UMA FACULDADE AINDA QUE ISSO NÃO FAÇA O MENOR SENTIDO, talvez até escolha gastar seu tempo estudando para um concurso e depois gastar seu dinheiro num carro, sei lá. Acreditem, nem todo jovem tem interesse ou aptidão pela academia e talvez você não queira (nem precise de) uma graduação.

E mesmo que, dentre as opções que a vida te der, você realmente quiser fazer uma faculdade (e tomara que queira), sugiro que sente com seus responsáveis, explique a situação e estude a possibilidade. Não é nenhum crime avaliar a grade do curso com o qual você está flertando pra ver se te agrada, pesquisar valores, faculdades conceituadas e a previsão para o mercado da área. Faça um cálculo do tempo e do dinheiro que será investido nisso, pra ter uma visão melhor. O nome disso é planejar, algo que todos nós temos que fazer durante toda a nossa vida e, cá pra nós, é melhor que você aprenda logo a fazer isso.

Sinceramente jovem, pode fazer quase tudo sem pensar agora. Pode encher o cu de catuaba na rua, pular de cara em rio raso (cuidado com o pescoço, caralho!), subir pirambeira de moto ignorando a existência da estrada (isso eu já fiz). Você é moleque ainda, aproveita pra fazer umas doideira, é bobagem pensar muito antes de fazer essas coisas que só duram um momento. Você está certo quando pensa assim. Mas algumas decisões são mais complicadas, porque têm consequências a médio e longo prazo e que correspondem ao investimento de uma vida. Nesse caso você precisa parar e pensar, calcular e planejar tudo muito bem planejado. O seu eu de daqui a cinco, dez anos, vai te agradecer.

Quanto a mim? Eu tenho ÓDIO de uma escolha completamente equivocada que fiz lá atrás e tenho uma tremenda dificuldade pra lidar com isso. Agora tô tentando fazer o que deveria ter feito na época: tô calculando o próximo passo com o máximo de calma possível, pra não me complicar mais.

Bom, se você chegou aqui, agradeço imensamente pela paciência e pela compreensão, nossa geração não é de ler textos tão enormes assim, risos. Saiba que, seja lá quem você for, eu e as pessoas ao seu redor queremos o seu bem. Se tô te falando isso tudo é porque o Fábio de hoje queria muito que alguém tivesse dito pra ele (eu) o que eu tô tentando te dizer agora.

Boa sorte, jovem.

Voltar